Ópera e literatura moldam sociedade fluminense

A Editora da USP (Edusp) acaba de lançar o livro “Ópera Flutuante: Teatro Lírico, Literatura e Sociedade no Rio de Janeiro do Segundo Reinado”, que explora a relação entre a ópera e a literatura brasileira do século 19. O autor, Marcelo Diego, investiga o impacto da ópera na sociedade fluminense durante o Segundo Reinado, mostrando como os espetáculos moldavam o cenário cultural da época mais do que as tradições do teatro lírico local.

Diego argumenta que tanto a ópera quanto os livros promovem experiências narrativas imersivas, e possuem algo que medeia a relação da obra com o receptor, seja a música ou a narração. Ele utiliza o conceito de “ópera flutuante” para mostrar como a música protagonizada por companhias itinerantes é central para a formação do gênero romance no Brasil.

O livro está dividido em três atos que revelam um Rio de Janeiro em transformação nos anos 1840, 1850-1860 e nas décadas de 1870 e 1880. A primeira parte descreve uma companhia italiana de ópera que se instalou no Estado e que trouxe à tona sucessos como Norma e Ernani. Essas obras influenciaram diversos escritores da época, como Martins Pena, Joaquim Manuel Macedo e Machado de Assis.

A segunda parte acompanha a consolidação do circuito lírico nas décadas de 1850-1860, quando o Teatro Lírico Fluminense se tornou a nova casa dos espetáculos depois da interrupção da temporada de óperas devido à epidemia de febre amarela e a um incêndio no Teatro São Pedro de Alcântara. O autor revela como a ficção de José de Alencar revela a proximidade do autor com o teatro lírico, mostrando como o uso da mão de obra escravizada permitiu a construção de uma elite ociosa e como a riqueza produzida por essa exploração permitiu a importação de bens culturais europeus.

A terceira parte do livro se concentra na década de 1870-1880, tempo em que a ópera estava em seu apogeu no Rio de Janeiro. O autor analisa diferentes obras de Machado de Assis para mostrar como ele “pintou o quadro mais vivo da cena lírica no Rio de Janeiro do Segundo Reinado”.

Em resumo, o livro investiga o papel da ópera na sociedade fluminense do século 19, mostrando como ela influenciou não só os espetáculos culturais da época, mas também a literatura brasileira. Ao longo da obra, Marcelo Diego recupera romances escritos no período para analisar a influência da ópera na produção literária da época.

O leitor pode se questionar sobre o impacto político da ópera no Brasil ou qual foi o papel das companhias itinerantes na cultura brasileira. No entanto, o livro oferece uma análise detalhada e única sobre as relações entre música e literatura na sociedade fluminense do século 19. A obra é recomendada para aqueles que querem entender melhor as raízes culturais brasileiras e sua ligação com a música e com as artes cênicas.

Notícia
Título O livro “Ópera Flutuante: Teatro Lírico, Literatura e Sociedade no Rio de Janeiro do Segundo Reinado”
Autor Marcelo Diego
Editora Editora da USP (Edusp)
Resumo O livro investiga o impacto da ópera na sociedade fluminense durante o Segundo Reinado e sua relação com a literatura brasileira do século 19. O autor utiliza o conceito de “ópera flutuante” para mostrar como a música protagonizada por companhias itinerantes é central para a formação do gênero romance no Brasil. O livro está dividido em três partes que revelam um Rio de Janeiro em transformação nos anos 1840, 1850-1860 e nas décadas de 1870 e 1880.
Partes 1. Companhia italiana de ópera e seus sucessos; 2. Consolidação do circuito lírico e a ficção de José de Alencar; 3. Década de 1870-1880 e a análise de diferentes obras de Machado de Assis.
Objetivo Investigar o papel da ópera na sociedade fluminense do século 19 e sua influência na literatura brasileira.

Descoberta de exoplaneta potencialmente habitável

Com informações do site Space.com

Katia Rangel Katia Rangel

erente de projetos do portal. Graduada em Letras, tem como missão cuidar da parte técnica do site e garantir que tudo esteja sempre funcionando perfeitamente. Graduada em Letras pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Katia Rangel é a gerente de projetos do portal Bienaldolivrojf.com.br.

Deixe um comentário